Archive for the ‘takefu’ Category

hanabi

agosto 16, 2008

花火 – Hanabi, festival de fogos de artifício. Takefu, Fukui, 2008 Aug/15 à beira do Rio Hino.

Anúncios

summer soundscape

agosto 14, 2008

Uma paisagem sonora gravada numa tarde quente de 1o de Agosto/2008, quando lá pelas 6 horas cigarras começaram a soar seu ciclo estridente-em-alta-velocidade, revoadas de corvos indo pra casa, alguns vizinhos conversando, um bebê no colo de seu pai chorando…
Gravado com um sony hi-md mzrh1. Tudo em amplo estéreo, fones de ouvido são recomendados.

Ouça: takefu summer soundscape mp3

English info here.

O carro e a cigarra

julho 23, 2008

Descrição na página da sound transit:

Recorded in July 14th 2008 in front of my house. Coming back home after work I get surprised by those cicadas making a fuzzy, phasing screaming, scratching, high-speed rotation sound around the city, by the morning. Though that it could be the sound of electricity but no, that was cicadas. Just after
starting to record, a car passed over the street and the cicada shuted up. It’s  how nature does silence as a natural instinct of survival when a bigger noise-machine comes in. A sony hi-md mzrh1 was used on this shot.the recording was not edited, it’s full, the way it was taken.

Ouça / Listen:

car vs cicada mp3

wet & chaotic

julho 10, 2008

Tubulações de água ao redor da vila onde moro, Senpukku-Cho, Takefu, Fukui.

Esse é o ritmo:

(Water pipes around “tamboo” and sidewalk street . Listen to  its rhythm.)

check check check

junho 25, 2008

Atenciones, silenciones, check check check, gravando lhes…

Já há algum tempo venho bolando a idéia pra esse blog mas o tempo escasso, preguiça e falta de boa memória me impediram, até agora. Pois bem, então agora tá aê.

Uma amiga havia feito um convite pra montar um blog coletivo, eu disse a ela que não teria o que dizer. E aqui também, acho que não tenho muito a dizer realmente. O que quero fazer aqui é mostrar algumas coisas que tenho feito, algumas coisas que acho interessantes,  poder usar esse espaço onde se pode ter algum feedback de qualquer um, mesmo que não tenha perfil em myspace, flickr, etc, tendo espaço livre pra quaquer um deixar um “oi” ou um “vai pra pqp”, enfim.

Há algum tempo comecei a me atraver pelo “tortuoso” mundo de field recordings, ou fonografia, gravações de campo (apesar de ter diferença significante entre os dois últimos), gravando coisas que me chamavam atenção logo nos primeiros dias morando em Takefu, cidadezinha rural do interior de Fukui, província no meio do Japão.  Algumas coisas eu já tinha em mente em gravar mas outras coisas simplesmente apareceram na hora. Algumas delas foram feitas a partir desse lugar aí na foto que é a janela do meu quarto. A vista dá pra plantações de arroz e outras, além de algumas pequenas montanhas ao fundo. Dessa janela eu vi dias amenos e dias chuvosos do outono, tempestades de neve no inverno (o sol se pondo pouco mais de 4h da tarde), tudo voltar a ficar cheio de cor na primavera e agora um baita calor, mosquitos, dias abafados quentes e úmidos (até que hoje tá bem fresquinho por sinal…) nesse verão que acaba de começar.

Mas vamos ao que interessa, os links pros primeiros arquivos disso que to falando.

Corvos nos fios – Voltando de manhã depois de passar por esses arredores, no comecinho da manhã, desde umas 6h, chego em casa e vejo uns três, quatro corvos nos fios de postes bem em frente ao prédio que moro. Por aqui corvo (karasu em nihon-go) é a coisa mais comum, tem por todo o Japão. Mas mesmo assim, fiquei impressionado com a quantidade que tem por aqui. Eles aparecem como “vilões” em algumas histórias, como quando um colega, ao fazer compras, saindo do supermercado em direção à bicicleta estacionada tem a triste surpresa de ter seus pertences (em geral comida) mexidos, revirados ou até mesmo roubados. Pois é, foram eles, karasu! Isso também aconteceu comigo. Eles ficam à espreita na entrada do supermercado, ou mesmo em qualquer lugar. É só vacilar, eles vêem, abrem com o bico, senão mesmo levam embora carregando pelas garras a janta. Esses bichos também são protagonistas de histórias, contos (vide Edgar Allan Poe, ou mesmo o HQ transformado em filme (“The Crow” com o filho do Bruce Lee..). Por aqui eles tem todo respeito do povo japonês que é bastante religioso e supersticioso. Dizem que traz má sorte pra quem ferir um corvo. Se um deles é encontrado morto a polícia vai atrás pra saber o que aconteceu. É curioso o som que produze que nem sempre é o mesmo. Esses da gravação aí é bem peculiar.

Carro da batata-doce – Eu costumava acordar alguns dias com o som dele. Não sabia muito bem o que era, talvez fosse só algo do meu sonho. Mas é bem real e comestível. As batatas são feitas de forma toda artesanal e tradicional, cozidas em pedras. Ainda não pude provar mas vou atrás desse carro aí qualquer dia. Toda semana ele passa. Por meio de um canto que parece reza ou oração ele avisa que tem coisa gostosa chegando.

Tambores de um Templo no Monte Chausu – Uma das primeiras que registrei. Tinha ficado num lugar ao lado do Mt Chausu, começando a gravar algumas coisas, principalmente corvos. Apareceram alguns nesse dia. Na volta começo a ouvir um ritmo vindo de um pequeno templo, decrescendo e decrescendo. Aquilo era forte, natural e hipnotizante.

De trem em Tóquio: Shinagawa-Shibuya – A única que não foi feita em Takefu mas em Toquio, no começo de Junho agora. Tinha ido pra ver um show, dar uma volta por alguns lugares que me pareciam legais. Isso aqui foi feito num trem comum (futsu-denshia) na cidade de Tóquio. A partir da plataforma de Shinagawa, o trem chega, embarco…

Todas as faixas estão no sound transit, um site exclusivo de field recordings onde é possível escolher um trajeto, marcar o local de embarque e desembarque, paradas, por todo mundo. Em cada lugar uma paisagem sonora diferente. Também dá pra acessar diretamente o perfil de cada artista que participa dele.

obs.: É altamente recomendável o uso de fones de ouvido pra melhor “visualização” das paisagens.

Em breve mais novidades,

Abraços a todos/todas!

Alexandre,

Junho/2008.